Investigado, Ministro da Educação pede demissão; essa é a 31º troca ministerial do governo Bolsonaro

O ministro da Educação, Milton Ribeiro, entregou sua carta de demissão ao presidente Jair Bolsonaro (PL), em reunião no Palácio do Planalto na tarde desta segunda-feira (28). Ele deve ser exonerado do cargo por conta do escândalo do “gabinete paralelo” no MEC.

No lugar dele deve assumir o secretário-executivo do MEC, Victor Godoy. Segundo informações, foi o próprio ministro que tomou a iniciativa com o objetivo evitar ainda mais desgaste no governo.

Milton Ribeiro avalia os efeitos da sua renúncia nas investigações da Polícia Federal envolvendo supostos pedidos de propinas feitos por pastores lobistas do MEC. O ministro virou alvo de inquérito da Polícia Federal por suspeita de favorecer pastores na liberação de verbas para prefeituras. A apuração foi autorizada pela ministra Cármen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF).

Apesar da crise. Em live na quinta-feira (24), o presidente disse acreditar na idoneidade do ministro.
“Se o Milton estivesse armando não teria colocado na agenda aberta ao público. O Milton, eu boto minha cara no fogo por ele. Estão fazendo uma covardia”, declarou.

Desde que assumiu o comando do Palácio do Planalto, em 2019, o presidente Jair Bolsonaro (PL) realizou 31 trocas ministeriais. A demissão do pastor é a primeira de 2022.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *