Pedindo justiça, caminhada dos pais de Beatriz recebe apoio em cidades do Sertão

Há uma semana, os pais da menina Beatriz Angélica Mota estão caminhando em direção a Recife, pedindo justiça, pela morte da filha de 7 anos, assassina com 42 facadas, no dia 10 de dezembro de 2015. Desde o início do percurso, em Petrolina, Lúcia Mota e Sandro Romilton estão recebendo manifestações de carinho e apoio, pelas cidades onde passam.

No início da madrugada desta segunda-feira (13), os pais de Beatriz saíram de Belém do São Francisco. A próxima parada do casal será em Floresta. “Estamos caminhando por justiça. Para que Beatriz tenha um inquérito justo e um processo justo”, destacou Lúcia.

Desde a saída de Petrolina, na madrugada do dia 5, os pais de Beatriz estão sendo acompanhados por voluntários e um esquema foi montado para garantir a de segurança durante a viagem. Nos pontos de parada, o grupo é acolhido por moradores.

Nestes sete dias de caminhada, Lúcia e Sandro tiveram recepções calorosas. Em Orocó, o casal foi recebido por dezenas de moradores, que estavam carregando faixas, pedindo justiça. O mesmo aconteceu em Cabrobó.

Em Belém do São Francisco, os moradores fizeram um corredor na rodovia, para receber os pais de Beatriz.

A previsão é que os pais de Beatriz cheguem a Recife entre os dias 25 e 30. “Em Recife, nós temos dois pontos de parada, que é o Ministério Público e o Palácio das Princesas, que é onde eu vou realmente me estabelecer. O objetivo dessa caminhada é chamar a atenção do governador em relação aos nossos pedidos que já estão tramitando aí há mais de um ano”, explica Lúcia.

O assassinato de Beatriz Angélica completou seis anos, no último dia 10. Até o momento, ninguém foi preso.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *