PE reduz idade mínima e intervalo para dose de reforço contra a Covid-19

Após análise do Comitê Técnico Estadual para Acompanhamento da Vacinação e pactuação junto aos municípios pernambucanos, o Governo de Pernambuco, por meio da Secretaria Estadual de Saúde (SES-PE), autorizou as reduções do intervalo e idade mínima para aplicação de dose de reforço.

A partir de agora, além dos trabalhadores da saúde, todos com mais de 55 anos podem tomar a dose de reforço. Além disso, a terceira dose da vacina contra a Covid-19 passa a ser aplicada quatro meses (120 dias) após o encerramento do esquema com duas doses, ou com a vacina de dose única. Anteriormente, o tempo de espera era de seis meses (180 dias).

Para os imunossuprimidos, continua valendo o intervalo de 28 dias de intervalo depois da segunda dose ou única.

Salgueiro: vereadores vão ao MP contra decisão do prefeito

Os vereadores, Léo Parente, Prof. Agaeudes, Emmanuel Sampaio, Henrique Leal Sampaio, Baldin, Flavinho, André de Zé de Esmeraldo e Sávio Pires acionaram o Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) questionando a suspensão do Concurso Público Municipal (Edital nº 001/2020) e as contratações temporárias que foram feitas pelo prefeito Marcondes Sá (PSB).

Os vereadores alegam que a Prefeitura teria suspendido o certame realizado ainda na gestão do ex-prefeito Clebel Cordeiro, e realizou vários contratos temporários de professores, sem respeitar o processo seletivo; além de ter realizado a contratação de servidores com acúmulo irregular de cargos e públicos.

Afirmam ainda que, desde o início de 2020 se encontrava em andamento o concurso público para o preenchimento de diversos cargos.

Nas alegações ao MP os vereadores afirmam que entre os 58 professores contratados sem o processo seletivo, consta o nome do Controlador-Geral do Município, Claudionor Cavalcante Costa Júnior, que ocupa cargo de Secretário Municipal – o que acreditam ser inconstitucional por acúmulo de cargos públicos.

Moro anuncia filiação usando slogan já utilizado por Lula

O ex-juiz e ex-ministro da Justiça Sérgio Moro chamou atenção ao divulgar uma arte para anunciar sua entrada na política. O material, com informações sobre seu ato de filiação ao Podemos, traz estampada a frase “Um Brasil justo para todos” — a mesma usada pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em 2016, durante campanha que defendia sua inocência frente às investigações da Operação Lava Jato.

Cinco meses depois do lançamento desta campanha, Sérgio Moro decretou a prisão do ex-presidente em primeira instância por corrupção e lavagem de dinheiro. Depois de 580 dias preso, Lula foi solto em 8 de novembro de 2019, após o Supremo Tribunal Federal (STF) derrubar a legalidade da prisão de condenados em segunda instância.

Em março de 2021, o relator da Lava Jato no STF, ministro Edson Fachin, anulou todas as decisões tomadas pela 13ª Vara Federal de Curitiba, antes conduzida por Moro, em quatro processos contra Lula, por entender que a Justiça de Curitiba não tem competência em relação ao caso. Com a decisão, o petista recuperou seus direitos políticos. A Segunda Turma do STF decidiu que o ex-juiz Sérgio Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do tríplex do Guarujá, um dos casos investigados na Lava Jato.

Disputa para Presidência

Na disputa à Presidência da República, Moro tenta se consolidar com o nome da “terceira via” ao ex-presidente Lula e ao presidente Jair Bolsonaro, que lideram nas pesquisas de intenção de voto. Nesses mesmos levantamentos, o ex-ministro disputa o terceiro lugar com o pré-candidato do PDT, Ciro Gomes.

Moro ganhou popularidade pelo seu trabalho à frente da Operação Lava Jato e, depois, como ministro da Justiça e Segurança Pública do governo de Bolsonaro.

Ele deixou a pasta em abril de 2020, depois de acusar o presidente de tentar interferir na direção da Polícia Federal. Em seguida, Moro se mudou para os Estados Unidos, onde passou a trabalhar como consultor de uma empresa jurídica.

Moro retornou ao Brasil na última quarta-feira, 3, para firmar sua filiação ao Podemos. O ato ocorre no próximo dia 10, em Brasília, com transmissão pelos perfis do partido nas redes sociais. O Podemos considera lançar a candidatura do ex-ministro ao Senado ou ao Palácio do Planalto.

Salgueiro na rota de despedida de Flávio Leandro

Em clima de despedida, o cantor e compositor Flávio Leandro está prestes a iniciar uma turnê, após decidir que não fará mais shows presenciais a partir de julho de 2022. Salgueiro recebe uma das apresentações do cantor no dia 23 de dezembro.

A agenda também inclui apresentações nos meses de novembro e dezembro nas cidades de Caruaru/PE, Floresta/PE, Serra Talhada/PE, Araripina/PE, Uauá/BA e São José do Egito/PE.

Flávio Leandro anunciou despedida dos palcos no dia 24 de setembro em publicação nas redes sociais. “Continuarei compondo e gravando, apenas não farei mais shows, a não ser virtuais, ou como decidimos, um show presencial por ano, em local previamente informado a todos”, comunicou na ocasião, informando que faria uma turnê de despedida até junho de 2022.

Prêmio Multishow cancela votação e elege Marília Mendonça a Cantora do Ano

O canal Multishow decidiu, neste domingo (7/11), cancelar a votação de Cantora do Ano do Prêmio Multishow 2021 e entregar o prêmio para a cantora Marília Mendonça, morta em um acidente aéreo na última sexta (5). A homenagem foi feita após fãs e as próprias concorrentes de Marília ao prêmio pedirem por isso.

“Marília Mendonça é a nossa Cantora do Ano e estão canceladas as votações para a categoria no #PrêmioMultishow 2021. Em um gesto de amor, respeito e sororidade, Anitta, Ivete Sangalo, IZA e Luísa Sonza se juntaram à família Multishow e aos fãs de todo o Brasil para homenagear a inesquecível Patroa. Marília e seu legado serão lembrados na cerimônia deste ano”, publicou o perfil oficial do Multishow nas redes sociais.